Saltar para o conteúdo

Cinema e Ambiente

08/09/2009
Agnès VARDA, La Cabane de cinéma, 2006

Agnès VARDA, La Cabane de cinéma, 2006

A ideia era tentar perceber se faz sentido existir cinema ambiental – a ver pela quantidade de festivais (na barra lateral) parece que sim – ou se o cinema é cinema, ponto final, e portanto uma arte que, como todas as outras, reflecte as tendências, as grandes questões, enfim, os problemas das épocas em que é feito.

O filme Wall-E, por exemplo, não tem intenção de passar uma mensagem ambientalista e no entanto reflecte bastante bem o problema do excesso de lixo. E, continuando no cinema de animação, os filmes do  Miyazaki sem serem ambientais convivem naturalmente com os problemas do meio ambiente.

Ou seja, no fundo, um bocado como um  dos mandamento de Dieter Rams para o Design, que diz “Good design is concerned with the environment”, também o bom cinema pode, e deve, ocupar-se do assunto sem parecer fanático.

Além disso, não há razões para que um filme activista não seja um bom filme, até porque como Ana Sofia Joanes, realizadora de FRESH, disse ao maisumavolta “um realizador de cinema, sobretudo um realizador de documentários tem de ser um apaixonado pelo tema que escolhe”, por isso é natural que seja, ou acabe por se tornar ao longo do processo,  num activista.

About these ads
No comments yet

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

%d bloggers like this: